Pular para o conteúdo
Mercado
Últimas notícias
Mundo

Queda na projeção do crescimento internacional requer análise de campo

No início de outubro, a OMC (Organização Mundial do Comércio) apontou uma queda na projeção do crescimento internacional em 2019 e 2020. O anúncio foi feito no primeiro dia do mês em um press release enviado pela própria instituição, que justificou as tensões da economia global como responsável por esse cenário. Segundo o documento, o volume mundial de comércio de mercadorias deve subir apenas 1,2% em 2019, substancialmente mais lento que o crescimento de 2,6% previsto em abril. O aumento projetado em 2020 é de 2,7%, ante 3,0% anteriormente. Os economistas alertam que os riscos negativos permanecem altos e que a projeção para 2020 depende de um retorno às relações comerciais normais.

Dados da OMC e da UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) apontam que no primeiro semestre de 2019, o comércio mundial de mercadorias cresceu 0,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Isso marca uma desaceleração substancial em comparação com os últimos anos. As exportações das economias desenvolvidas aumentaram apenas 0,2% até o momento, enquanto as das economias em desenvolvimento aumentaram 1,3%. Do lado da importação, as economias desenvolvidas registraram um crescimento anual de 1,1%, enquanto os países em desenvolvimento diminuíram 0,4%. 

A maior integradora logística latino-americana, Asia Shipping (AS), concorda com o diretor geral da OMC, Roberto Azevêdo, quando ele afirma que a queda na projeção do crescimento internacional era esperada e as perspectivas do comércio são desencorajadoras. “A incerteza do mercado faz com que importantes investidores deixem de aplicar recursos no setor, o que prejudica sua evolução”, destaca a multinacional.

Fatores cíclicos e estruturais específicos de cada país também estão entre uma das causas para a queda na projeção do crescimento internacional para a OMC. Assim, a taxa de crescimento estimada para o comércio mundial em 2019 está dentro de uma faixa de 0,5% a 1,6%. A gama de valores prováveis ​​é mais ampla para 2020, variando de 1,7% a 3,7%, com melhores resultados, dependendo da diminuição das tensões comerciais. Sobretudo, a entidade alerta que os riscos para as previsões são fortemente ponderados pelo lado negativo e dominados pela política comercial.

Para a AS, essa queda na projeção do crescimento internacional é bastante preocupante, mas desafiadora. “É justamente em momentos como esse que o setor logístico ligado ao comércio exterior precisa agir. Discutir pontos a serem explorados e alternativas para fugir de uma crise financeira se faz necessário”, afirma. A empresa reforça ainda que medidas tomadas por impulso não são convenientes em momentos como esse. “Por mais crítico que seja, é fundamental pensar com cautela cada ação a ser realizada, já que elas podem trazer consequências ainda mais alarmantes”.

De forma a exemplificar esse cenário e a preocupação de tomadas de decisão impensadas, a OMC afirma também que a mudança de políticas monetárias e fiscais pode desestabilizar os mercados financeiros voláteis. Uma desaceleração mais acentuada da economia global pode produzir uma retração ainda maior no comércio.