Pular para o conteúdo
econômico
Mercado
Últimas notícias
Mundo

OMC faz previsões sobre cenário econômico durante e pós-pandemia de COVID-19

Com uma crise sanitária sem precedentes e a incerteza em torno do impacto econômico, economistas da OMC tentam buscar previsões para o restante deste ano e para o próximo diante da pandemia de COVID-19. De acordo com eles, o declínio econômico provavelmente será maior do que o provocado pela crise financeira global de 2008-2009. A recuperação esperada para 2021 é igualmente incerta, com os resultados dependendo amplamente da duração do surto e da eficácia das respostas políticas.

A queda de comércio global afeta diferentes setores, inclusive o logístico. Segundo Maurício Vaz, Global Account Manager na Asia Shipping, já é possível ver reflexos claros no transporte via modal aéreo que foi reduzido em cerca de 90% enquanto o modal marítimo está sentindo os primeiros impactos.  “Com uma queda do comércio global estimada entre 13% em um cenário otimista e 32% em uma mais pessimista, devemos ficar em uma média. O mercado já estava desacelerando em 2019 na América Latina e estamos em uma das regiões que vai demorar mais para se recuperar, pois ainda não entrou no pico da pandemia de COVID-19”, explica.

Como afirmado pelo executivo, o comércio já estava diminuindo em 2019 antes do surgimento dos primeiros casos do vírus, sobrecarregado pelas tensões comerciais e pela desaceleração do crescimento econômico. O comércio mundial de mercadorias registrou uma ligeira queda no ano de -0,1% em termos de volume, depois de crescer 2,9% no ano anterior. Enquanto isso, o valor em dólar das exportações mundiais de mercadorias em 2019 caiu 3%, para US $ 18,89 trilhões.

Em 2020, o impacto do surto de COVID-19 no comércio internacional ainda não é visível na maioria dos dados do comércio, mas alguns indicadores já fornecem pistas sobre a extensão da desaceleração e como ela se compara às crises anteriores. O PMI (índice de compras) global do JP Morgan para março mostrou pedidos de exportação em manufatura caindo para 43,3 em relação a um valor de linha de base de 50, e o negócio de exportação de novos serviços caindo para 35,5, sugerindo uma forte desaceleração.

Diferentes de outras crises econômicas históricas, as restrições ao movimento e o distanciamento social para retardar a propagação da doença afetam diretamente setores inteiros, incluindo hotéis, restaurantes, comércio não essencial, turismo e partes significativas da manufatura. “O objetivo imediato é controlar a pandemia e reduzir os danos econômicos a pessoas, empresas e países. Mas governantes devem começar a planejar as consequências da pandemia. Há como contornar isso, uma recuperação rápida e vigorosa é possível, porém as decisões tomadas agora determinarão as perspectivas de recuperação e crescimento global”, afirma o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo.

Se a pandemia for controlada e o comércio começar a se expandir novamente, a maioria das regiões poderá registrar crescimento em 2021, de acordo com a OMC essa retomada seria em torno de 21% no cenário otimista e 24% no cenário pessimista. 

“A recuperação em 2021 será muito forte, as empresas que tiverem ofertas seguras e confiáveis em todos os mercados, vão ter condições de atender a essa retomada. Como uma empresa multinacional, a Asia Shipping está posicionada nos principais mercados e temos soluções logísticas globais e expertise para guiar os nossos clientes. Em países que já estão retomando as atividades como a China, temos diversos escritórios prontos para dar o suporte necessário”, finaliza Maurício.

 

Artigo postado originalmente no Portal Terra