Pular para o conteúdo
Nossas Dicas
Serviços
Contract Logistics

Regras na terceirização logística definem as obrigações das empresas

A terceirização logística é uma prática adotada por muitas empresas e que pode trazer ótimos benefícios, como o aprimoramento da prestação do serviço e a redução dos custos. Mas, para que se tenha o resultado esperado é indispensável estar atento a algumas regras que garantam uma parceria de sucesso. Entre os pontos a serem analisados está a adequada seleção das empresas terceirizadas e a formalização do contrato.

A maior integradora logística da América Latina, Asia Shipping (AS) afirma que essas regras na terceirização logística nada mais são do que os pilares de um acordo responsável. “Em um caso de terceirização, ambas as empresas têm pontos a colocarem sobre a mesa, sempre pensando no melhor resultado. Por isso, estar ciente das responsabilidades e buscar a melhor forma de firmar essa parceria é a atitude correta”, afirma. 

 

A terceirização logística é realmente necessária? 

Para decidir se esse é o melhor caminho a seguir, a recomendação é realizar a Análise SWOT, ferramenta utilizada para fazer análise de cenário, embasada na gestão e no planejamento estratégico da empresa. Com ela, é possível identificar as vantagens, desvantagens, oportunidades e ameaças. Quando decidido, é preciso começar a organização e o planejamento das próximas ações.

 

Seleção dos parceiros

Seja para contar com um ou mais parceiros, é indispensável fazer uma seleção adequada. “As opções do mercado são várias, mas é preciso identificar empresas que realmente levam o trabalho a sério e se preocupam em fazer uso de diferentes ferramentas, métodos e tecnologias para satisfazer o cliente”, afirma a AS. Ambas as empresas também precisam estar cientes de que é necessário se adaptar ao modelo de negócios uma da outra. 

 


 

Custo x Proposta de serviço 

O preço não é tudo na hora de avaliar uma boa empresa de terceirização logística. Muitas vezes, as empresas com menor preço não oferecem as melhores condições e muito menos dispõe dos melhores equipamentos. Conhecer a solução completa permitirá uma análise comercial e técnica mais adequada e justa.

 

Formalização do contrato

A formalização do contrato garante que a prestação do serviço seja devidamente realizada, sob uma pena a ser estipulada entre as partes. Essa é a oportunidade de destacar também as obrigações de cada empresa, bem como explicitar as políticas institucionais para que o prestador tenha ciência. 

 

Comunicação

Por mais que a terceirização logística dê ao parceiro a responsabilidade de realizar a função pela empresa, não significa que o trabalho não precise ser supervisionado. Alinhar as estratégias e metodologias a serem utilizadas exige que os profissionais das duas empresas tenham uma boa comunicação. Para que isso seja possível, é preciso disponibilizar canais, além de realizar reuniões periódicas de alinhamento. É essencial que o prestador conheça as expectativas do seu cliente para que seja possível concentrar os esforços em melhor atendê-lo. Isso faz com que a empresa seja sempre franca e exponha o que realmente espera. 

A AS conta que uma das maneiras pela qual atende satisfatoriamente seus clientes é o CW1, sistema informatizado para acelerar e organizar os procedimentos. “Ele permite que o cliente tenha a informação online disponível no mesmo momento em que a ação é realizada no sistema, seja ele na origem ou no destino da carga”, explica. Além deste, vários outros métodos também são colocados em prática, como sobre a definição do melhor modal a ser utilizado em diferentes circunstâncias.

Nossas Dicas
Contract Logistics

Como saber o momento certo para terceirizar a logística da empresa?

Nem sempre a decisão de terceirizar um serviço na empresa é fácil, pois envolve uma série de custos e a necessidade de encontrar uma empresa responsável. Porém, essa não precisa ser uma carga tão grande sobre os gestores, já que em meio aos obstáculos existem muitas vantagens a serem levadas em consideração, especialmente quando se trata de terceirizar a logística da empresa. Apostar na qualidade do serviço e confiar na competência e responsabilidade de pessoas que dedicam suas atividades a isso é uma forma de otimizar a entrega e, consequentemente, satisfazer o cliente.

A maior integradora logística latino-americana, Asia Shipping (AS), afirma que terceirizar a logística da empresa nada mais é do que contar com a confiabilidade de um time comercial e operacional devidamente capacitado. “No caso da AS, nossos clientes contam ainda com um sistema próprio de rastreamento, o AS Tracking, para monitoramento e controle preciso de todos os processos”, explica. Trata-se de uma série de recursos tecnológicos colocados em prática para um atendimento personalizado.

A falta de know how é um dos motivos que leva uma empresa a terceirizar serviços. Apenas pessoas com a qualificação adequada estão aptas a realizarem suas atividades com qualidade. Terceirizar a logística da empresa é garantir a eficácia do transporte, que nem sempre os colaboradores internos conseguiriam alcançar, visto que têm outras demandas e responsabilidades. Este é outro ponto do qual os gestores podem tirar proveito: a otimização do tempo. Sem a responsabilidade de ter que coordenar o setor de logística, é possível destinar a atenção a outras áreas da empresa, identificar pontos de melhoria e desenvolver ações que ajudem a consolidar a marca no mercado. Terceirizar a logística da empresa também implica em uma redução significativa de custos, dado que a contratação de funcionários exige a compra de máquinas, treinamentos, entre outros, serviços que passam a ser de responsabilidade da empresa contratada.

Uma das vantagens em terceirizar a logística da empresa é a maior abrangência de serviços. Isso significa que dentro da própria organização, nem sempre se tem recursos, profissionais e equipamentos adequados para realizar uma série de atividades. Por outro lado, ao terceirizar o serviço, a empresa contratada poderá oferecer várias outras possibilidades e até mesmo modais de transporte, já que atua especificamente nesse segmento. “Nosso portfólio completo de serviços logísticos abrange desde o transporte internacional, ao desembaraço aduaneiro, seguro de carga, armazenagem e transporte doméstico”, conta a AS.

Entre as preocupações de terceirizar a logística da empresa está a insegurança do cuidado que a empresa contratada terá com as suas mercadorias. Mas, se a empresa for sólida e tiver bastante tempo no mercado, as chances de a prestação do serviço ser realizada da melhor forma possível é certeira. “A Asia Shipping tem buscado, ao longo de seus 20 anos de existência, adequar-se às melhores práticas corporativas, bem como consolidar os conceitos de padrões éticos mais elevados, de responsabilidade e de integridade”, finaliza a empresa.

 


 

 

 

Mercado
Últimas notícias
Mundo

“Trump Tariff’: Entenda melhor sobre essas taxas e sua influência

Desde o início do governo de Trump, os Estados Unidos tiveram diversas alterações em seus impostos, com tantas mudanças surgiu o termo “Trump Tariff’, mas o que isso realmente significa? As tarifas Trump são uma série de tarifas impostas durante a Presidência de Donald Trump como parte de sua “America First”, política econômica para reduzir o déficit comercial dos Estados Unidos. A ideia é proteger as indústrias domésticas recentemente estabelecidas da competição estrangeira.

Até março deste ano, Washington arrecadou em torno 15,6 bilhões de dólares líquidos por tarifas impostas desde o início de 2018, de acordo com dados da CBP. A receita total com as taxas — incluindo as que antecedem Trump — teve um crescimento de 89% no primeiro semestre do atual ano fiscal, para 34,7 bilhões de dólares, segundo dados do Tesouro norte-americano.

Apesar do principal “alvo” desses aumentos ser a China, as tarifas de Trump não são pagas pelo governo chinês ou por empresas localizadas na China, mas sim por importadores de produtos chineses, muitas vezes, empresas americanas. E o impacto desse aumento já está sendo notado, empresas e consumidores norte-americanos pagaram 3 bilhões de dólares a mais por mês em impostos por conta das tarifas sobre produtos chineses, alumínio e aço de todo o mundo, segundo um estudo do Federal Reserve de Nova York, da Universidade de Princeton e da Universidade Columbia.

Entre os setores mais afetados com o aumento de tarifas está o de eletrônicos, computadores, peças de veículos, lâmpadas, condicionadores de ar, cortadores de cabelo, xampu, bolsas, peças de bicicleta, carnes, diários, tabaco, torneiras e chaves de fenda. Em relação a localização, o comércio Trans-Pacífico está sendo mais afetado, já que o México e a América Latina ainda podem obter algumas isenções de tarifas.

Porém, mesmo com algumas isenções, as empresas precisam ficar atentas para amenizar o impacto das “Trump Tariffs”. De acordo com a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina, algumas estratégias ajudam a minimizar a alta desses valores. “ Mantenha um volume consistente, tenha bom relacionamento com os portadores e isso inclui boa comunicação, faça um planejamento exato do seu fluxo de importação, faça reservas com antecedência, entre outros. Ou seja, planeje-se melhor e tenha mais atenção nas estratégias e relacionamentos”, explica.


Mercado
Contract Logistics

Terceirização logística: como escolher o parceiro ideal para a sua empresa

Com o aumento da demanda logística, a necessidade de operações mais elaboradas se tornou essencial para o sucesso e a sustentabilidade das empresas e assim muitas delas têm apostado em um parceiro para terceirização logística com o objetivo de garantir a eficiência do negócio e, claro, a fidelização dos clientes. Porém, com tantas opções no mercado, selecionar um parceiro para terceirização de logística não é e nem deve ser uma tarefa simples, é importante tomar essa decisão com calma e muita segurança. É importante entender quais são as necessidades do negócio e o tipo de serviço que deverá ser contratado. Que tal algumas dicas para tomar essa decisão de uma forma cautelosa e garantir a qualidade dos serviços?

 

Personalização

Cada empresa é singular e tem necessidades específicas, até mesmo na logística de seus produtos. No momento de escolha da empresa terceirizada é preciso avaliar se a flexibilidade e serviços oferecidos se encaixam na demanda do seu negócio. Soluções prontas podem se encaixar em alguns casos, mas na maioria das empresas é importante a personalização. 

 

Credibilidade

Você conhece a empresa na qual irá confiar a terceirização logística da sua empresa? É importante avaliar bem as referências da empresa, cases de sucesso, tempo de atuação no mercado, certificações de excelência e filiações às entidades do meio, como a Associação Brasileira de Movimentação e Logística (ABML) ou a Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), entre outras. 

 

Capilaridade

Até onde os seus produtos podem chegar com o apoio desse parceiro logístico? A rede de distribuição que ele é capaz de te oferecer é adequada ao porte da sua empresa e ao destino de seus produtos? Sem a capilaridade necessária, a sua empresa enfrentará problemas com futuras demandas e exigências repentinas. Busque um parceiro que se adeque a sua rede de distribuição e tenha melhores resultados!

 


Custo-benefício

Escolher um fornecedor apenas pelo custo pode não ser uma boa opção, nem sempre o barato é a melhor opção para a sua empresa. Busque parceiros que sejam capazes de lhe oferecer o melhor serviço de terceirização logística por um preço justo. Lembre-se de que ao terceirizar a logística você já está promovendo redução de custos com contratação e encargos trabalhistas de funcionários. Ou seja, não é preciso buscar a opção mais barata no mercado, mas, sim, a que oferece o melhor custo-benefício.

 

Alinhamento 

Com certeza a sua empresa tem valores e compartilhar essa visão com seu operador logístico é a melhor forma de fazer essa parceria dar certo. Afinal, o foco de ambas empresas deve ser a satisfação dos consumidores, que não se importa como você realiza a sua distribuição, ele só quer que o produto chegue no prazo combinado e em perfeitas condições. 

 

Visão

E o futuro? Buscar por empresas que estão em constante evolução e podem contribuir para o avanço e crescimento do seu negócio através de nova solução é o ideal. De acordo com a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina, a tecnologia pode ajudar em diversos processos e oferecer benefícios como redução de custos, diminuição do tempo de entrega, otimização de rotas, aumento da abrangência geográfica ou outros fatores. “Nós sempre buscamos a nossa evolução com foco em beneficiar os nossos clientes, todos aplicativos, ferramentas e benefícios oferecidos é para que eles tenham o melhor do mercado e possam oferecer um bom atendimento para os consumidores deles também”, afirma.

 

A terceirização logística é um importante passo e deve ser dado com muito cuidado, siga essas dicas e acerte na escolha!

Mercado
Mundo

Novas regras para emissão de enxofre por navios entra em vigor em janeiro de 2020

O transporte marítimo tem um grande desafio nos próximos anos, as novas regras sobre emissão de enxofre dos navios que entrarão em vigor em 1º de janeiro de 2020. Estabelecida pela Organização Marítima Internacional (IMO), a medida visa essencialmente reduzir as emissões de SO2 (dióxido de enxofre) no meio ambiente e deve ser adotada em caráter obrigatório e igual para os navios de todos os países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU). O acordo ratificado estabelece que o limite deve passar dos atuais 3,5% para 0,5%, a partir de 2020. Com isso, a participação das emissões dos navios na poluição do ar em todo o mundo deverá cair de 5% para 1,5%.

Aproximadamente 90% do comércio mundial é feito pelo mar e o combustível rico em enxofre alimenta a frota mercante de cerca de 95.000 embarcações, incluindo navios porta-contêineres. O novo regulamento foi introduzido para proteger o ambiente e a saúde humana, mas são os envolvidos no transporte marítimo, como proprietários de navio, integradoras logísticas, importadores e exportadores que irão sentir os maiores impactos dessas mudanças, que principalmente serão o aumento de custos e possíveis interrupções na cadeia de fornecimento. 

Diante das novas exigências, os proprietários e operadores de navios têm três opções principais para legalizarem suas atividades. A primeira delas e mais simples de cumprir, é usar combustíveis com baixo teor de enxofre, porém esses são mais caros e ainda não é certo se este tipo de combustível estará disponível na escala que será necessário. Esse aumento de custo, provavelmente, será repassado para os consumidores finais. Na segunda opção, é indicada a utilização de “ purificadores ”, sistemas que limpam os gases de exaustão antes de serem lançados na atmosfera, o que permite que os navios possam continuar a usar combustível com alto teor de enxofre e ainda cumprir o limite de 0,5%. Nessa alternativa, o entrave é adequar todas as frotas, um prazo previsto de 100 anos, além do alto investimento.

A última alternativa para o cumprimento das normas é o uso de fontes alternativas de combustível que tenham menos emissões de óxido de enxofre como o gás limpo GNL, que leva a emissões insignificantes de enxofre quando inflamado, e metanol, que é usado em alguns serviços de curta distância marítima. No entanto, a rede de abastecimento desses combustíveis é subdesenvolvida e não se torna viável para os proprietários e operadores de navios. 

Em comum, as alternativas para redução da emissão de enxofre têm custos maiores para as empresas e os transportadores parecem determinados a repassar esses custos para proprietários de carga e fornecedores de logística terceirizados. Além desses custos, a inadequação dos navios pode ocasionar multas ou falta de autorização para navegação. Também podem ocorrer problemas devido às interrupções para adaptação ou por atrasos no fornecimento de tipos de combustível mais ecológicos.

Alguns países já introduziram o novo limite de emissão de enxofre. A China implementou um limite de 0,5% de enxofre em todo o seu litoral desde o início desse ano e a partir de janeiro de 2020, o limite de enxofre será ainda mais restrito chegando a 0,1%, o mesmo que na Europa. “Apesar das dificuldades de adequação a essa nova realidade, as empresas e países precisam se inspirar nos modelos adotados pelas nações que já tem essas restrições, encontrando a solução mais viável para os transportadores e consumidores, evitando a oneração financeira e a obstrução das vias marítimas”. Afirma a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina.

Nossas Dicas
Serviços
Marítimo
Importação

Quais são os canais de parametrização na importação? Entenda melhor!

Os canais de parametrização nada mais são que uma forma de análise da Secretaria da Receita Federal (SRF) com relação ao despacho aduaneiro. Quando a declaração de importação (DI) é registrada, o processo de despacho aduaneiro se inicia. Ocorre que a DI passa por uma análise fiscal e é destinada a um canal de conferência. Esse processo de seleção do canal é chamando de parametrização.

Os canais de parametrização são divididos em verde, amarelo, vermelho e cinza. O canal verde significa que não haverá conferência, ou seja, a mercadoria é liberada diretamente com a presunção de que o importador fez tudo conforme os procedimentos previstos. Esse canal é necessário, pois diante do alto fluxo de entrada de mercadorias no país, não seria possível fiscalizar tudo. Já o canal amarelo é o que identifica que a conferência será documental. Isso significa que o fiscal irá analisar se os documentos estão em conformidade com as informações registradas no Siscomex e se atendem às normas do Regulamento Aduaneiro.

O vermelho é o terceiro da classificação dos canais de parametrização e aponta que será realizada uma conferência física e documental da mercadoria. Quando este é o procedimento, o fiscal irá solicitar a abertura do(s) contêiner(es) para verificação das mercadorias. Também faz parte do serviço realizar a comparação entre o que está descrito no documento com a carga física, feita por amostragem.

O canal cinza é o último dos canais de parametrização na importação e sinaliza que será necessário um procedimento especial. Geralmente, ele é selecionado diante de indícios de inconformidade grave ou fraude. Denúncias de subfaturamento dos produtos com intuito de fraudar a Receita Federal do Brasil (RFB) e pagar menos impostos são um deles. Neste caso, o fiscal irá analisar cautelosamente a documentação e também a carga, levando um pouco mais de tempo para ser concluído, sendo o prazo de até 90 dias, com prorrogação de mais 90 dias.

A parametrização é de responsabilidade da Receita Federal e após o procedimento, realizado de acordo com as classificações apresentadas, é feito o registro do desembaraço. Caso surjam motivos que justifiquem, a conferência da mercadoria pode ser determinada mesmo que ela tenha sido parametrizada para os canais com liberação automática.

Ficou em dúvida sobre qual será a parametrização da sua mercadoria? Acesse o site e saiba mais sobre como a AS pode facilitar os negócios de importação marítima da sua empresa!

Mercado
Brasil
Cabotagem

Cabotagem: confira dicas de quando essa alternativa deve ser utilizada

A navegação entre portos do mesmo país é um dos modais de transporte possíveis e que apresenta inúmeras vantagens comparado aos demais. Muitos transportadores e empresas logísticas acabam não escolhendo essa opção por falta de conhecimento e por isso, a AS traz hoje esse texto explicando as vantagens de utilizar a cabotagem e em quais circunstâncias ela é mais recomendada. 

A cabotagem é considerada um modal promissor, diante da extensa costa navegável do Brasil que passa pelas principais cidades. Com a carga próxima de pólos industriais e grandes centros consumidores que se concentram no litoral ou em cidades próximas a ele, o custo com esse transporte se torna vantajoso. A segurança e a economia são pontos a serem levados em consideração, sem contar na maior capacidade de carga e menor impacto ambiental.

Se comparada especialmente com o transporte rodoviário, um dos mais utilizados no Brasil, a cabotagem é uma ótima alternativa, visto que várias são as dificuldades encontradas nas estradas no que diz respeito à manutenção das vias, falta de segurança e os recorrentes acidentes de trânsito. No que se refere ao meio ambiente, o setor de transportes é o principal responsável por emissões de CO2 no país, causando um grande prejuízo ao ecossistema. Com a cabotagem, é possível diminuir a dependência de combustíveis fósseis, pois ela utiliza de forma natural as vias navegáveis.

Agora que você já conhece as vantagens da cabotagem, chegou o momento de descobrir em quais circunstâncias ela é mais recomendada!

Volume de carga
O serviço de cabotagem é capaz de realizar o transporte de um grande volume de carga de uma só vez, sendo bastante indicado para empresas que possuem muita mercadoria a ser levada de um ponto a outro. Ainda nesse sentido, outra dica é a possibilidade que as empresas logísticas têm de transportarem de uma única vez mercadorias de diferentes clientes, aproveitando a capacidade do modal.

Itens valiosos
Com riscos de roubos e avarias muito mais baixos, a cabotagem também é indicada para transporte de mercadorias com alto valor agregado, uma vez que este é um dos transportes mais seguros.

Longa distância
Para percursos longos, a cabotagem é extremamente recomendada, uma vez que irá tornar o custo do frete mais barato.

A AS está à disposição para te ajudar a fazer a melhor escolha para o transporte das suas mercadorias. Entre em contato e descubra como!

Mercado
Brasil
Nossas Dicas

Conheça os principais órgãos que gerenciam as exportações no Brasil

As atividades de comércio exterior são gerenciadas por diferentes órgãos no país, divididas por suas áreas de competência. Existem Ministérios, Secretarias, Conselhos, Departamentos, Agências, Fundações, Federações, entre outros, que atuam com ações executivas e estratégicas. Tem empresas públicas e privadas, além de manifestações populares, todas voltados para o comércio exterior. A junção desses órgãos que gerenciam as exportações no Brasil é o que as tornam cada dia mais eficazes.

Entre as atividades dos órgãos que gerenciam as exportações no Brasil e que estão vinculados diretamente ao governo estão a fixação das diretrizes da política monetária e a formulação, adoção, implementação e coordenação de políticas e atividades relativas ao comércio exterior de bens e serviços.

Há também os departamentos que propõem diretrizes de política exterior, no âmbito internacional, bem como os que planejam e executam programas e atividades de promoção comercial. O estabelecimento de normas sobre as operações de câmbio, a fiscalização e controle de sua aplicação também são atividades exercidas pelos órgãos que gerenciam as exportações no Brasil, além da determinação dos procedimentos para certificação sanitária das exportações brasileiras.

Apoio financeiro, formulação de propostas de comércio exterior e de política de atração de investimentos externos também são extremamente importantes. Já com uma visão de melhorar o que já está em vigor, são essenciais os estudos relacionados ao setor que propõem soluções para seus principais gargalos. A manifestação pública da sociedade civil também visa estimular o comércio bilateral, além de contribuir para o constante aperfeiçoamento dos serviços.

Para ajudar você a AS, maior integradora logística da América Latina, listou abaixo os principais órgãos que gerenciam as exportações no Brasil, confira:

  • Conselho Monetário Nacional – CMN
  • Câmara de Comércio Exterior – CAMEX
  • Ministério das Relações Exteriores – MRE
  • Departamento Econômico – DEC
  • Departamento de Integração Latino-Americana – DIN
  • Departamento de Promoção Comercial – DPR
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)
  • Ministério da Fazenda (MF)
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAA)
  • Agência de Promoção de Exportações S/A (APEX)
  • Seguradora Brasileira de Crédito à Exportação S/A (SBCE)
  • Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB)
  • Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (FUNCEX)
  • Federações Estaduais
  • Câmaras de Comércio

Em caso de necessidade de auxílio em comércio exterior, conte com a AS!

Mercado
Brasil
Seguro de Carga

Prejuízo em roubos de cargas chegou a R$2 bilhões em 2018

Só em 2018, houve o registro de mais de 22 mil ataques a motoristas em todo o país. Um levantamento da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) aponta que o prejuízo para o setor produtivo com a perda de cargas e veículos chegou a cerca de R$ 2 bilhões, segundo o Jornal O Globo. Toda essa violência, é resultado da ação de quadrilhas especializadas em roubos de cargas, atraídas pelo alto valor das mercadorias, vulnerabilidade das estradas e falta de policiamento. 

Segundo o relatório da NTC, os produtos mais visados pelas quadrilhas são: cigarros, eletrônicos, combustíveis, bebidas, autopeças e artigos alimentícios ou farmacêuticos. Ainda de acordo com o Jornal O Globo, cerca de 78% dos roubos de cargas registrados no levantamento da Polícia Rodoviária Federal ocorrem em áreas urbanas. Os ataques em rodovias representam 22% do total. No caso dos crimes nas cidades, a maioria dos ataques ocorre pela manhã, enquanto, nas rodovias, o maior volume de roubos de cargas é registrado no período da noite.

Além do prejuízo com a mercadoria, os roubos de cargas são um dos fatores que faz com que as empresas busquem alternativas para transportar com segurança. Assim, contratar o serviço de segurança de carga é essencial para evitar prejuízos ainda maiores. A Asia Shipping (AS), oferece esse serviço com condições especialmente adaptadas aos riscos inerentes ao transporte de cargas. 

A falta de infraestrutura das estradas faz com que o modal rodoviário seja ainda mais penalizado no que se refere aos roubos de cargas. Sem sinalização, iluminação e pavimentação adequada, os motoristas ficam mais suscetíveis não só ao roubo, como também a danos aos produtos. A contratação de um seguro de cargas é a garantia de que a mercadoria chegará íntegra ao seu destino final e contar com a AS para a realização desse serviço é confiar que a sua necessidade será atendida. Para contratar, basta se dirigir a um dos escritórios da empresa, no qual será definido o plano mais adequado. Acesse o site e confira também os outros serviços prestados pela maior integradora logística da América Latina.   

Mercado
Mundo
Desembaraço Aduaneiro

Inteligência artificial no comércio exterior: como ela pode contribuir?

Capaz de proporcionar vantagens em todos os segmentos, a Inteligência Artificial tem ganho também o comércio exterior. A cada dia mais presente nas corporações, os sistemas inteligentes são capazes de fazer uma detalhada análise de dados, otimizando o trabalho em diferentes setores, especialmente no Desembaraço Aduaneiro. Além de agilizar a entrada e a saída das mercadorias, os erros são minimizados, proporcionando um serviço mais eficaz. Proporcionar ao cliente a comodidade do acompanhamento instantâneo é outra vantagem possível a partir do investimento em tecnologia e em sistemas inteligentes.

Serviço essencial no comércio exterior, o Desembaraço Aduaneiro envolve uma série de trâmites burocráticos, mas obrigatórios, para a regularização de tudo o que é importado e exportado. Todas as análises têm como finalidade a confirmação dos devidos cálculos tributários e se a mercadoria corresponde ao que está descrito na documentação. Para toda liberação de entrada ou a saída do território brasileiro, a Inteligência Artificial tem um papel muito importante, de tornar esses processos mais simples e ágeis. Distribuir melhor as atividades dos colaboradores da empresa é outra possibilidade, além de permitir que o cliente tenha acesso ao status em que sua carga está dentro do processo para ser liberada.

Por meio da Inteligência Artificial, muitos dos procedimentos podem ser realizados de maneira automatizada, trazendo mais rapidez, praticidade e principalmente redução de erros. Porém, isso exige investimento em inovação, ambição que tornou a Asia Shipping (AS) a maior integradora logística da América Latina. A empresa hoje posiciona-se como referência em serviços aduaneiros, atendendo toda e qualquer demanda de suas operações, e está contratando justamente esse serviço para aperfeiçoar o atendimento aos seus clientes.

Certificada em Compliance e Qualidade pelo ISO 9001 para a atividade de Desembaraço Aduaneiro, a AS envia também aos clientes modelos de controles de performance, os KPIs, com flexibilidade para desenvolver e divulgar mecanismos de medições customizados. “O investimento em Inteligência Artificial é a adaptação de um serviço necessário à realidade do mundo de hoje. Mais praticidade e rapidez para a conclusão dos processos significa um movimento maior e mais organizado da economia”, finaliza a empresa. Para conhecer a metodologia utilizada pela AS, acesse o site e confira os serviços oferecidos