Pular para o conteúdo
Mercado
Últimas notícias
Mundo

Queda na projeção do crescimento internacional requer análise de campo

No início de outubro, a OMC (Organização Mundial do Comércio) apontou uma queda na projeção do crescimento internacional em 2019 e 2020. O anúncio foi feito no primeiro dia do mês em um press release enviado pela própria instituição, que justificou as tensões da economia global como responsável por esse cenário. Segundo o documento, o volume mundial de comércio de mercadorias deve subir apenas 1,2% em 2019, substancialmente mais lento que o crescimento de 2,6% previsto em abril. O aumento projetado em 2020 é de 2,7%, ante 3,0% anteriormente. Os economistas alertam que os riscos negativos permanecem altos e que a projeção para 2020 depende de um retorno às relações comerciais normais.

Dados da OMC e da UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) apontam que no primeiro semestre de 2019, o comércio mundial de mercadorias cresceu 0,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Isso marca uma desaceleração substancial em comparação com os últimos anos. As exportações das economias desenvolvidas aumentaram apenas 0,2% até o momento, enquanto as das economias em desenvolvimento aumentaram 1,3%. Do lado da importação, as economias desenvolvidas registraram um crescimento anual de 1,1%, enquanto os países em desenvolvimento diminuíram 0,4%. 

A maior integradora logística latino-americana, Asia Shipping (AS), concorda com o diretor geral da OMC, Roberto Azevêdo, quando ele afirma que a queda na projeção do crescimento internacional era esperada e as perspectivas do comércio são desencorajadoras. “A incerteza do mercado faz com que importantes investidores deixem de aplicar recursos no setor, o que prejudica sua evolução”, destaca a multinacional.

Fatores cíclicos e estruturais específicos de cada país também estão entre uma das causas para a queda na projeção do crescimento internacional para a OMC. Assim, a taxa de crescimento estimada para o comércio mundial em 2019 está dentro de uma faixa de 0,5% a 1,6%. A gama de valores prováveis ​​é mais ampla para 2020, variando de 1,7% a 3,7%, com melhores resultados, dependendo da diminuição das tensões comerciais. Sobretudo, a entidade alerta que os riscos para as previsões são fortemente ponderados pelo lado negativo e dominados pela política comercial.

Para a AS, essa queda na projeção do crescimento internacional é bastante preocupante, mas desafiadora. “É justamente em momentos como esse que o setor logístico ligado ao comércio exterior precisa agir. Discutir pontos a serem explorados e alternativas para fugir de uma crise financeira se faz necessário”, afirma. A empresa reforça ainda que medidas tomadas por impulso não são convenientes em momentos como esse. “Por mais crítico que seja, é fundamental pensar com cautela cada ação a ser realizada, já que elas podem trazer consequências ainda mais alarmantes”.

De forma a exemplificar esse cenário e a preocupação de tomadas de decisão impensadas, a OMC afirma também que a mudança de políticas monetárias e fiscais pode desestabilizar os mercados financeiros voláteis. Uma desaceleração mais acentuada da economia global pode produzir uma retração ainda maior no comércio. 


Exportação
Importação
Qualidade

Maior integradora logística latina recebe certificação OEA em Taiwan

Ser certificado como um Operador Econômico Autorizado (OEA) significa minimizar os riscos em suas operações de comércio exterior e estar comprometido com os critérios de Conformidade Aduaneira e de Segurança da Cadeia Logística. E por isso, é com muito orgulho que a Asia Shipping (AS), maior integradora logística da América Latina, anuncia mais uma certificação OEA, desta vez em Taiwan. A ilha conta com os serviços da AS para sustentar a economia de suas cidades modernas, templos tradicionais, resorts de águas termais e relevo montanhoso deslumbrante.

Entre as vantagens da certificação OEA estão a utilização da logomarca do Programa; participação no Fórum Consultivo, Seminários e Treinamentos sobre o Programa OEA; despacho de Exportação e Importação como parametrização imediata e redução no percentual de canais de conferência. A AS afirma que essa conquista apenas reforça o compromisso da empresa em sempre prestar um serviço de qualidade. “A certificação OEA permite vínculo entre o Estado, a Receita Federal e a AS, sempre empenhada em exercer uma atividade de importação e exportação regular e idônea”, afirma.

A multinacional também possui outros certificados e premiações que confirmam sua autoridade no mercado logístico. Em reconhecimento à parceria estabelecida para proporcionar maior agilidade e previsibilidade ao fluxo de comércio exterior, a AS possui a certificação OEA no Brasil e na Índia. É também certificada como Operador de Transporte Multimodal, ISO 9001 e possui Declaração de Trânsito Aduaneira, sem contar no reconhecimento da Trace, organização reconhecida mundialmente pelo trabalho com empresas para elevar os padrões de conformidade anticorrupção em todo o mundo.

Além do comprometimento em atender seus clientes com a máxima responsabilidade, a AS também se preocupa com o meio ambiente, reconhecimento comprovado pelo Selo Verde recebido pelo Jornal Meio Ambiente do Estado de São Paulo, em 2018, pelo excelente trabalho realizado na área de preservação e educação ambiental. “Fazer a diferença no mercado é mais do que atender o nosso público no que ele precisa, é mostrar o quanto tudo o que está ao nosso redor é importante. É isso o que nos torna uma referência latino-americana”, ressalta.

A certificação OEA surgiu em 2005, durante uma convenção da OMA (Organização Mundial Aduaneira), em Bruxelas. Embora sua obtenção seja voluntária, o intermediador em operações de comércio exterior que a busca, visa profissionalizar ainda mais sua atividade. “A integração entre as partes reduz significantemente o trânsito ilegal de mercadorias. Fazer as transações às claras traz transparência e responsabilidade”, finaliza a empresa que reforça ainda que continua em constante trabalho para alcançar ainda mais certificações.

 

Referência: Mundo do Marketing


Mercado
Últimas notícias
Brasil

Asia Shipping renova certificação TRACE Due Dilligence

Referência no transporte internacional de cargas, a Asia Shipping (AS), maior integradora logística da América Latina, renovou recentemente a sua certificação TRACE Due Dilligence. A Certificação TRACE permite que intermediários comerciais e prestadores de serviços terceirizados possuam seus respectivos relatórios de conformidade e os compartilhem com parceiros de negócios. Com ela, a empresa ganha a valiosa vantagem mercatória de ser reconhecida mundialmente pelo seu compromisso com a transparência comercial, o que a torna parceira mercantil valorizada por outras empresas multinacionais. 

A TRACE International Inc. é reconhecida globalmente como a maior organização empresarial contra o suborno e principal fornecedor de soluções de gerenciamento de risco de terceiros.  A TRACE auxilia empresas de diversos países a realizar negócios de forma ética e em conformidade com a leis de prática de corrupção nos Estados Unidos e Reino Unido, além de colaborar com outras leis anti-suborno pelo mundo. Com essa missão foi criado o TRACE CERTIFICATION, atestado de conformidade para as empresas interessadas em possuir suas próprias informações de due diligence verificadas com o objetivo de compartilhá-las com todos os seus parceiros comerciais globais.

Há 23 anos no mercado, reunindo atualmente mais de 1000 colaboradores, a AS possui 39 escritórios próprios em 11 países e uma rede completa de representantes em cinco continentes e, ainda mais, é a única empresa latina a compor o ranking do Freight Forwarding da Transport Topics, além de ser certificada também pela ABNT ISO 9001:2015, garantindo seus padrões de qualidade. Com presença global, a conclusão bem-sucedida da certificação TRACE demonstra o compromisso da Asia Shipping com a transparência comercial, permitindo que a AS seja um parceiro de negócios nacional e internacional.

De acordo com a Asia Shipping, a certificação TRACE garante para o mercado que a empresa é de confiança e deve ser considerada na seleção de parceiros de negócios. “Temos um plano de expansão ao redor do mundo, a empresa tem como objetivo fortalecer sua presença global e uma certificação internacional do nível da TRACE demonstra ao mercado que somos uma empresa confiável e que a realização de negócios conosco é uma boa alternativa. Além disso temos outras certificações como o ISO e o Programa de Operador Econômico Autorizado-OEA que reiteram a nossa posição e garante padrões de qualidade”, explica.

 

Referência: https://veja.abril.com.br/economia/releases/asia-shipping-renova-certificacao-trace-due-dilligence/

 

 

 


Mercado
Armazenagem

Asia Shipping recebe certificação ISO 9001 no serviço de agenciamento de carga

Recentemente, a Asia Shipping conquistou a certificação da ABNT ISO 9001 para o serviço de agenciamento de armazenagem de carga para importação e exportação. A maior integradora logística latino-americana já segue e mantém vários controles referente a processos e procedimentos e essa certificação veio para evidenciar estes controles aos seus clientes e ao mercado.

Internacionalmente reconhecida, a ISO 9001 é concedida após criteriosa auditoria e o principal método de avaliação que os auditores utilizam é o PDCA (Planejar – Executar – Avaliar – Agir). De acordo com esse conceito é necessário que as corporações precisam planejar a estratégia da empresa; executar os planos de ação e implementar as melhorias necessárias; avaliar os processos por meio de auditorias e reuniões, e agir de maneira a dar continuidade nas ações implementadas que geraram bons resultados, sempre levando em consideração as oportunidades de melhoria. Assim, mais uma certificação ISO 9001 representa para a Asia Shipping a garantia da realização de um trabalho responsável.

Para mais essa conquista da Asia Shipping, todo os processos que envolvem o serviço de agenciamento de Terminais, processos de apoio como RH, Compras e Fornecedores, além da Diretoria do produto foram avaliados. “Todos os funcionários participaram do processo e a preparação durou em torno de três meses para evidenciarmos tudo o que já era executado, além de treinamentos presenciais com os colaboradores”, explica Silvana Antunes, Coordenadora do departamento de Qualidade e Processos da AS.

Entre as vantagens de possuir essa certificação está a linguagem comum para trabalhar com clientes e fornecedores em todo o mundo, sem contar no estímulo à uma gestão mais organizada dos procedimentos internos e externos. A apresentação de um modelo de excelência para consumidores, clientes e outras partes interessadas também é perceptível, além da melhoria direta na qualidade de produtos, processos e serviços. Isso gera o aumento da satisfação, lealdade, retenção de clientes e o fortalecimento da empresa no mercado. “De maneira resumida a certificação da ISO serve para melhorar a gestão da empresa através de indicadores e metas estipuladas a todos os processos, além de aumentar a satisfação dos clientes”, afirma.


Mercado
Últimas notícias
Brasil

Vem aí o Perxpectivas 2020, maior e melhor evento de Comex do Brasil

Em meio a diversos eventos de comércio exterior que não representam os interesses de importadores e exportadores que movimentam contêineres, cargas aéreas e cargas consolidadas, a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina, resolveu atender essa demanda do setor e criar o maior e melhor evento de comércio exterior (Comex) do Brasil. O Perxpectivas Comex 2020 reunirá os principais players do mercado respondendo o que esperar para o ano de 2020, além de dados sobre a economia, reforma tributária, frete internacional, capacidade de mercado e muito mais.

O Perxpectivas 2020 é voltado para quem planeja o futuro da empresa, oferecendo conteúdo para que o importador e exportador possa tomar decisões com embasamento e de maneira mais assertiva. Assim, o principal objetivo é impactar, aumentar o network dos participantes e mudar o planejamento dos clientes em relação a logística. E para isso, reunirá grandes nomes para discutir sobre economia, tendências, perspectivas tributárias e muito mais. O Instituto Tomie Ohtake, um dos mais icônicos edifícios da cidade de São Paulo, foi o local escolhido para receber a primeira edição deste evento que acontece no dia 04 de novembro de 2019, a partir das 09h. É a oportunidade perfeita para ampliar ao máximo o conhecimento sobre o mercado mundial.

Para receber todos os convidados da melhor forma possível, a Asia Shipping convidou Rosana Jatobá como mestre de cerimônias. Formada em Jornalismo, Rosana já atuou como repórter e apresentadora na TV Bandeirantes e na TV Globo. Como mestre de cerimônia já atendeu clientes como: Vivo, Bradesco, Fecomércio, Aeroporto Viracopos, ABAV, Sul America, Biolab, Met Life, Basf entre outros. E quem serão os responsáveis por oferecer aos participantes tanto conhecimento?

O primeiro a subir no palco do Perxpectivas 2020 é Luiz Carlos Hauly, autor ou relator, das mais importantes leis tributárias do país: tais como: Lei Kahndir; Lei do COMPREV, Lei das S/A, Lei Geral da Micro e Pequena empresa 123/05 que criou o Simples Nacional e da Lei do MEI – Microempreendedor Individual. Como relator da Reforma Tributária, Hauly aprovou em dezembro de 2018 por unanimidade a PEC 293-A/04 na comissão especial.  Logo após é a vez de Leandro Carelli Barreto, administrador de empresas, especializado em Economia Internacional e em Inteligência Competitiva. Há quase 20 anos atuando no segmento já realizou trabalhos para renomados Exportadores, Importadores, Terminais Portuários, Armadores, Seguradoras, Fundos de Investimentos entre outros.

Para encerrar o Perxpectivas 2020, Ricardo Amorim, o Economista mais influente do Brasil de acordo com a revista Forbes subirá ao palco. Com 20 anos atuação destacada no mercado financeiro em Nova York, Paris e São Paulo, Ricardo Amorim dirige a Ricam Consultoria desde 2009, prestando assessoria econômica, financeira, de investimentos e de estratégia para clientes em todo o mundo. Além disso, é um dos apresentadores do Manhattan Connection da Globonews desde 2003. É também o único brasileiro entre os mais importantes palestrantes mundiais do site britânico Speakers Corner e o maior influenciador no LinkedIn em todo o mundo, com exceção de Estados Unidos, Reino Unido e China.

 

Serviço: PERXPECTIVAS 2020

04 de novembro de 2019

Das 09 às 19h

Instituto Tomie Ohtake

 

 


Nossas Dicas
Serviços
Desembaraço Aduaneiro
Exportação

Tecnologia em nuvem agiliza e aprimora processos no Comércio Exterior

Que a tecnologia está transformando todos os setores da economia, não é novidade. Mas como ela pode auxiliar em uma área tão burocrática como o comércio exterior? De inúmeras maneiras. São diversas soluções que podem colaborar na gestão de projetos e equipes, potencializar a performance da equipe, automatizar rotinas e otimizar recursos, sejam eles físicos, financeiros, humanos e principalmente tempo. Além de padronizar procedimentos, centralizar informações e garantir a credibilidade dos dados, alavancando os resultados da área. Ou seja, a tecnologia é determinante no sucesso do setor de comércio exterior.

Com a velocidade que o cenário atual se transforma, tudo ao nosso redor também muda. Entre as maiores tendências de inovação está a tecnologia em nuvem, que no Comércio Exterior, é utilizada como apoio os processos de importação e exportação, em todas as etapas. Com maior automatização e agilidade, esta tecnologia proporciona melhorias na rotina dos colaboradores, que assim podem exercer mais funções ou focar em processos que demandem mais resultados, atenção e cautela.

Burocráticos e muitas vezes lentos, os processos aduaneiros ganham mais agilidade com o uso da tecnologia. Além disso, com o uso da nuvem é notável o aumento de segurança das informações da nota gerada e assertividade, evitando riscos de cálculos tributários errados ou de input de informações equivocadas e desatualizadas. Os softwares hospedados em nuvem, além da qualidade e eficiência, são mais baratos, o que permite que as empresas utilizem soluções específicas para Comércio Exterior automatizando processos, potencializando o tempo e aumentando eficiência. 

 


Gestores de comércio exterior que desejam otimizar processos nas empresas para potencializar o tempo e o talento humano, aumentando a qualidade do serviço oferecido e maximizando os resultados, devem considerar a utilização da tecnologia, principalmente as soluções em nuvem. 

“Minimizando os problemas diários, reduzindo o tempo gasto em longos processos aduaneiros, a capacidade produtiva da empresa será ampliada. Aqui na AS utilizamos diversas tecnologias para facilitar o dia a dia de nossos colaboradores e oferecer mais qualidade e rapidez aos nossos clientes. Com o AS Tracking, por exemplo, o rastreamento da carga é feito automaticamente, sem que nossos consultores precisem deixar outras funções para realizar esse procedimento”, afirma a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina. 

Mercado
Últimas notícias
Brasil
Nossas Dicas
Inteligencia Fiscal e Tributaria

Comércio exterior também será afetado por reforma tributária

A reforma tributária, apesar de ser amplamente discutida, ainda desperta dúvidas na maioria das pessoas, dentre elas: A reforma irá aumentar impostos? Irá simplificar? A PEC 45/2019 tem como objetivo substituir o IPI, PIS/Pasep, Cofins, ICMS e ISS, que hoje têm competência federal, estadual e municipal, respectivamente, por um único imposto sobre bens e serviços, o IBS, o que geraria imediatamente uma simplificação tanto nas obrigações principais como acessórias. Este imposto, de acordo com a proposta ainda em aprovação, será cobrado em todas as etapas de produção e comercialização, independentemente da forma de organização da atividade, e em cada etapa que o IBS incidir, geraria crédito equivalente na cadeia tributária, o que permitiria o ressarcimento do imposto pago na etapa anterior da cadeia produtiva.

No Brasil, poucas exportações têm incidência de impostos, como no caso de cigarros para a América Latina, de armas e munições para parte dos países da América do Sul e Caribe e de couros e peles. A maioria dos exportadores já recebem isenção do IPI, ICMS, PIS/Pasep, Cofins, ISS e do IOF nas operações cambiais. Além das possibilidades de recuperação tributária através do Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras – REINTEGRA. Ou seja, com a aprovação da PEC 45/2019, as empresas exportadoras continuarão sem onerações e ainda contarão com mecanismos mais ágeis do que os atuais para a devolução dos créditos acumulados pelo exportador e dos impostos pagos para a aquisição de bens de capital.

 


Já nas importações, a adoção do IBS será sentida pelo menos em partes, mas ainda gerará créditos ao importador. Além disso, simplificará os meios de apuração e cálculos dos impostos A reforma refletirá mais diretamente nos estados que concedem os chamados “Benefícios portuários”, benefícios fiscais focados no ICMS, com concessão de alíquotas diferenciadas para importação além de créditos presumidos.

De toda forma, com menos burocracia e com cargas tributárias menores, de acordo com o esperado, o clima entre as empresas que trabalham com comércio exterior é otimista. Segundo a Asia Shipping, maior integradora logística latino-americana, o otimismo se deve não só pela reforma tributária, mas também pelos acordos comerciais que estão sendo assinados e devem gerar resultados no próximo ano. “O acordo realizado entre a União Europeia e Mercosul vai impulsionar as negociações e movimentar o mercado, com impostos reduzidos, o Brasil, com certeza poderá se destacar”, explica.

Nossas Dicas
Serviços
Contract Logistics

Regras na terceirização logística definem as obrigações das empresas

A terceirização logística é uma prática adotada por muitas empresas e que pode trazer ótimos benefícios, como o aprimoramento da prestação do serviço e a redução dos custos. Mas, para que se tenha o resultado esperado é indispensável estar atento a algumas regras que garantam uma parceria de sucesso. Entre os pontos a serem analisados está a adequada seleção das empresas terceirizadas e a formalização do contrato.

A maior integradora logística da América Latina, Asia Shipping (AS) afirma que essas regras na terceirização logística nada mais são do que os pilares de um acordo responsável. “Em um caso de terceirização, ambas as empresas têm pontos a colocarem sobre a mesa, sempre pensando no melhor resultado. Por isso, estar ciente das responsabilidades e buscar a melhor forma de firmar essa parceria é a atitude correta”, afirma. 

 

A terceirização logística é realmente necessária? 

Para decidir se esse é o melhor caminho a seguir, a recomendação é realizar a Análise SWOT, ferramenta utilizada para fazer análise de cenário, embasada na gestão e no planejamento estratégico da empresa. Com ela, é possível identificar as vantagens, desvantagens, oportunidades e ameaças. Quando decidido, é preciso começar a organização e o planejamento das próximas ações.

 

Seleção dos parceiros

Seja para contar com um ou mais parceiros, é indispensável fazer uma seleção adequada. “As opções do mercado são várias, mas é preciso identificar empresas que realmente levam o trabalho a sério e se preocupam em fazer uso de diferentes ferramentas, métodos e tecnologias para satisfazer o cliente”, afirma a AS. Ambas as empresas também precisam estar cientes de que é necessário se adaptar ao modelo de negócios uma da outra. 

 


 

Custo x Proposta de serviço 

O preço não é tudo na hora de avaliar uma boa empresa de terceirização logística. Muitas vezes, as empresas com menor preço não oferecem as melhores condições e muito menos dispõe dos melhores equipamentos. Conhecer a solução completa permitirá uma análise comercial e técnica mais adequada e justa.

 

Formalização do contrato

A formalização do contrato garante que a prestação do serviço seja devidamente realizada, sob uma pena a ser estipulada entre as partes. Essa é a oportunidade de destacar também as obrigações de cada empresa, bem como explicitar as políticas institucionais para que o prestador tenha ciência. 

 

Comunicação

Por mais que a terceirização logística dê ao parceiro a responsabilidade de realizar a função pela empresa, não significa que o trabalho não precise ser supervisionado. Alinhar as estratégias e metodologias a serem utilizadas exige que os profissionais das duas empresas tenham uma boa comunicação. Para que isso seja possível, é preciso disponibilizar canais, além de realizar reuniões periódicas de alinhamento. É essencial que o prestador conheça as expectativas do seu cliente para que seja possível concentrar os esforços em melhor atendê-lo. Isso faz com que a empresa seja sempre franca e exponha o que realmente espera. 

A AS conta que uma das maneiras pela qual atende satisfatoriamente seus clientes é o CW1, sistema informatizado para acelerar e organizar os procedimentos. “Ele permite que o cliente tenha a informação online disponível no mesmo momento em que a ação é realizada no sistema, seja ele na origem ou no destino da carga”, explica. Além deste, vários outros métodos também são colocados em prática, como sobre a definição do melhor modal a ser utilizado em diferentes circunstâncias.

Nossas Dicas
Contract Logistics

Como saber o momento certo para terceirizar a logística da empresa?

Nem sempre a decisão de terceirizar um serviço na empresa é fácil, pois envolve uma série de custos e a necessidade de encontrar uma empresa responsável. Porém, essa não precisa ser uma carga tão grande sobre os gestores, já que em meio aos obstáculos existem muitas vantagens a serem levadas em consideração, especialmente quando se trata de terceirizar a logística da empresa. Apostar na qualidade do serviço e confiar na competência e responsabilidade de pessoas que dedicam suas atividades a isso é uma forma de otimizar a entrega e, consequentemente, satisfazer o cliente.

A maior integradora logística latino-americana, Asia Shipping (AS), afirma que terceirizar a logística da empresa nada mais é do que contar com a confiabilidade de um time comercial e operacional devidamente capacitado. “No caso da AS, nossos clientes contam ainda com um sistema próprio de rastreamento, o AS Tracking, para monitoramento e controle preciso de todos os processos”, explica. Trata-se de uma série de recursos tecnológicos colocados em prática para um atendimento personalizado.

A falta de know how é um dos motivos que leva uma empresa a terceirizar serviços. Apenas pessoas com a qualificação adequada estão aptas a realizarem suas atividades com qualidade. Terceirizar a logística da empresa é garantir a eficácia do transporte, que nem sempre os colaboradores internos conseguiriam alcançar, visto que têm outras demandas e responsabilidades. Este é outro ponto do qual os gestores podem tirar proveito: a otimização do tempo. Sem a responsabilidade de ter que coordenar o setor de logística, é possível destinar a atenção a outras áreas da empresa, identificar pontos de melhoria e desenvolver ações que ajudem a consolidar a marca no mercado. Terceirizar a logística da empresa também implica em uma redução significativa de custos, dado que a contratação de funcionários exige a compra de máquinas, treinamentos, entre outros, serviços que passam a ser de responsabilidade da empresa contratada.

Uma das vantagens em terceirizar a logística da empresa é a maior abrangência de serviços. Isso significa que dentro da própria organização, nem sempre se tem recursos, profissionais e equipamentos adequados para realizar uma série de atividades. Por outro lado, ao terceirizar o serviço, a empresa contratada poderá oferecer várias outras possibilidades e até mesmo modais de transporte, já que atua especificamente nesse segmento. “Nosso portfólio completo de serviços logísticos abrange desde o transporte internacional, ao desembaraço aduaneiro, seguro de carga, armazenagem e transporte doméstico”, conta a AS.

Entre as preocupações de terceirizar a logística da empresa está a insegurança do cuidado que a empresa contratada terá com as suas mercadorias. Mas, se a empresa for sólida e tiver bastante tempo no mercado, as chances de a prestação do serviço ser realizada da melhor forma possível é certeira. “A Asia Shipping tem buscado, ao longo de seus 20 anos de existência, adequar-se às melhores práticas corporativas, bem como consolidar os conceitos de padrões éticos mais elevados, de responsabilidade e de integridade”, finaliza a empresa.

 


 

 

 

Mercado
Últimas notícias
Mundo

“Trump Tariff’: Entenda melhor sobre essas taxas e sua influência

Desde o início do governo de Trump, os Estados Unidos tiveram diversas alterações em seus impostos, com tantas mudanças surgiu o termo “Trump Tariff’, mas o que isso realmente significa? As tarifas Trump são uma série de tarifas impostas durante a Presidência de Donald Trump como parte de sua “America First”, política econômica para reduzir o déficit comercial dos Estados Unidos. A ideia é proteger as indústrias domésticas recentemente estabelecidas da competição estrangeira.

Até março deste ano, Washington arrecadou em torno 15,6 bilhões de dólares líquidos por tarifas impostas desde o início de 2018, de acordo com dados da CBP. A receita total com as taxas — incluindo as que antecedem Trump — teve um crescimento de 89% no primeiro semestre do atual ano fiscal, para 34,7 bilhões de dólares, segundo dados do Tesouro norte-americano.

Apesar do principal “alvo” desses aumentos ser a China, as tarifas de Trump não são pagas pelo governo chinês ou por empresas localizadas na China, mas sim por importadores de produtos chineses, muitas vezes, empresas americanas. E o impacto desse aumento já está sendo notado, empresas e consumidores norte-americanos pagaram 3 bilhões de dólares a mais por mês em impostos por conta das tarifas sobre produtos chineses, alumínio e aço de todo o mundo, segundo um estudo do Federal Reserve de Nova York, da Universidade de Princeton e da Universidade Columbia.

Entre os setores mais afetados com o aumento de tarifas está o de eletrônicos, computadores, peças de veículos, lâmpadas, condicionadores de ar, cortadores de cabelo, xampu, bolsas, peças de bicicleta, carnes, diários, tabaco, torneiras e chaves de fenda. Em relação a localização, o comércio Trans-Pacífico está sendo mais afetado, já que o México e a América Latina ainda podem obter algumas isenções de tarifas.

Porém, mesmo com algumas isenções, as empresas precisam ficar atentas para amenizar o impacto das “Trump Tariffs”. De acordo com a Asia Shipping, maior integradora logística da América Latina, algumas estratégias ajudam a minimizar a alta desses valores. “ Mantenha um volume consistente, tenha bom relacionamento com os portadores e isso inclui boa comunicação, faça um planejamento exato do seu fluxo de importação, faça reservas com antecedência, entre outros. Ou seja, planeje-se melhor e tenha mais atenção nas estratégias e relacionamentos”, explica.