Cabotagem no Brasil
Cabotagem

Perspectivas da cabotagem no Brasil

cabotagem é o que podemos chamar de transporte marítimo entre dois portos da costa de um mesmo país, ou entre um fluvial até a costa, sem perdê-la de vista. De acordo com a Lei do Transporte Aquaviário (lei 9.432 de 8 de janeiro de 1997), em seu Artigo 2o, inciso IX, a navegação de cabotagem só pode ser praticada por navios com bandeira brasileira ou navios estrangeiros fretado por empresas brasileiras sob certas condições.

No Brasil, a cabotagem é extremamente exequível. De acordo com a Antaq ( Agência Nacional de Transportes Aquaviários), por aqui temos 7400 km de costa navegável e 80% da população mora perto dessa, com inúmeros pólos industriais no litoral ou bem próximos.

O termo cabotagem é derivado do nome Caboto, um navegador do século XVI, que explorou a costa da América do Norte, chamado Sebastião Caboto. Ele navegou pelo Rio Prata por um período de dois anos. Em razão desse marco na história da na navegação,  navegando pela costa do litoral, recebeu o nome de Cabotagem.

O futuro da cabotagem é promissor.

Com o crescimento quantitativo do número de projetos portuários que despontam no setor, fica evidente que por mais que a crise exista na economia nacional, os produtos que entram em nossos mares  em alguns casos podem valer até pouco, mas a distância física continua sendo uma opção muito econômica, o que acaba valendo a pena financeiramente como é o caso do eixo Brasil, Japão, Brasil.

o mercado cresce continuamente

Sim, pois a nossa frota de navios é relativamente nova perto do restante do mundo. Nossa frota de cabotagem para contêineres tem navios competitivos e grandes empresas utilizam muito essa forma de transporte.

Em termos de sustentabilidade, a cabotagem é um meio de transporte com menos poluentes e deve ser incentivada, pois 90% dos poluentes do nosso ar são oriundos do transporte rodoviário e apenas 2% do transporte marítimo.

Uma tabela elaborada pelo The European Chemical Transport Association (ECTA) em 2002, observa-se que um isocontêiner transportando 20 toneladas de produtos na rota Manaus-Santos geraria 1,14 toneladas de CO2 se transportados por navegação de cabotagem (5.500 quilômetros de rota) contra 12,71 toneladas se transportados pelo modal rodoviário (6.000 quilômetros). Comprovando assim que essa é bem menos poluente que o modal rodoviário.

A segurança da cabotagem também deve ser levada em conta pois a carga no mar, viaja com menos condições de assalto do que na rodovia, que possui um número bem maior desse incidente.

Ao analisarmos o território mundial, a cabotagem compõe com grande ajustabilidade a cadeia de suprimentos de diversos segmentos,  e em breve aqui no nosso blog,vamos falar sobre o tema a nível mundial.

Nossa experiência e tradição, nos faz líderes nacionais no mercado de Cabotagem. E por sermos especialistas no que fazemos, temos uma equipe bem preparada para realizar esse transporte com eficiência e excelência. Fale conosco e supere suas expectativas. Descobrir caminhos é o que nos motiva!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *